O show do padre bonitão em São Luís foi cancelado. A produção alegou que foi por conta da onda de violência. Então quer dizer que o padre não anda em lugar que tem marginalidade? Deve ter medo de ser assaltado.

Ele fala que Jesus veio para os doentes, que precisam ouvir sua palavra, mas a atitude de cancelar o showzinho só provou que o padre quer ganhar seu CACHÊZÃO quietinho e sem ser incomodado pelo Bonde dos 40.  Em uma terra violenta, precisamos é de pessoas que preguem a paz, coisa que o padre se recusou a fazer, dizendo a produção, que foi por conta da violência.

A postura do padre Fábio de Melo não é muito condizente com o cargo religioso o qual ele ocupa. O “servo de deus” cobra caríssimo pelos seus shows, tudo para sustentar seus mimos, que por sinal são caríssimos.

O sacerdote ama viagens de luxo, ama jatinhos, lanchas, mas quem não gosta?  Todos nós amamos! Mas viver a vida em torno disso já é demais. O padre posta fotos absurdas nas redes sociais, apela, sabe que é bonito e faz questão de tentar seduzir as fiéis. Ele mais cultua o corpo do que qualquer outra coisa.

O louvor não existe mais, o que existe é o show, rezas e orações, não, o que existe é o cachê. Fico intrigada como esse povo que anda falando que tem um “CHAMADO” para anunciar o evangelho e pregar a paz pode cobrar tão caro para atender esse “CHAMADO”.

img_3877

Tâmara Silva

5 thoughts on “Padre Fábio de Melo não veio fazer show em São Luís porque não quis ser incomodado pelo Bonde”

  1. Lastimável. Enquanto artista ele pode cancelar e cobrar o quanto quiser para fazer seu show. Errado seria cobrar para assistir sua missa. Seus mimos oriundos de seu trabalho não interferem na sua religiosidade. E quanto ao cancelamento a justificativa proposta na matéria parece mais especulatoria que fática uma vez que não apresenta provas.

  2. Como coisa que os cantores evangélicos sejam menos capitalistas, né? Saúde não tem preço, mas medicina tem custo. Sabedoria não tem preço, mas educação tem custo. O amor não tem preço, mas o show tem custo, ou os músicos vivem de luz e palavra?

    Sou ateu ‘graças a deus’, mas antes de religiosos, esse pessoal é gente como nós. Tem CPF e RG. Ou eles estão acima de nós, já são santos e tem que ser perfeitos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *