Filha da secretária de Educação recebe sem trabalhar e vive na Bolívia

A secretária de Educação do pequeno município de São Roberto, localizado na região central do Estado, Elisângela Castro, tem praticado crime de nepotismo dentro da administração da prefeita Danielly Trabulsi (PTB). Isso porque, há oito meses, vem mantendo a filha, Eduarda de Castro Alves, nomeada em um cargo de chefia sem trabalhar um dia.

De acordo com denúncias da imprensa local, a ‘Diretora de Departamento’ estuda medicina na Bolívia, recebe mensalmente R$ 2.442,00, mas só é vista na cidade durante o período de férias.

Ao longo de oito meses no cargo, a fraude teria causado um prejuízo de cerca de R$ 20 mil. O nome da servidora foi removido da folha de pagamento do município assim que o caso foi descoberto.

A prefeita do município venceu as eleições de 2020 no município sob um discurso de moralidade, ética e contra a corrupção, o que caiu por terra diante dessa grave denúncia.

Ainda segundo a imprensa local, o município tem vivido as consequências da má gestão municipal, cuja responsável sequer vive em São Roberto, mas em São Luís, com familiares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.