Pode haver núcleo criminoso em Imperatriz semelhante ao de Santa Inês, diz PF

A Polícia Federal, que investiga contratos superfaturados no município de Santa Inês, cujo prefeito é Felipe dos Pneus (Republicanos), junto à Droga Rocha, na ordem de R$ 8,5 milhões, disse que o mesmo núcleo criminoso pode estar agindo na Prefeitura de Imperatriz, do prefeito Assis Ramos (União Brasil).

De acordo com o inquérito, há indícios de que outros municípios maranhenses estariam sendo alvo do núcleo criminoso encabeçado pela Droga Rocha, alvo de investigação da PF em Santa Inês, que culminou no afastamento do prefeito do município.

De acordo com os investigadores, um dos assessores do prefeito, Flávio Henrique Cardoso Matos, foi visto próximo a uma agência bancária em Teresina (PI), onde outra pessoa ligada à Droga Rocha realizava saques de valores supostamente relacionados ao pagamento de propina.

Ambos, segundo a PF, utilizavam mochila, que seriam supostamente utilizadas para guardar o dinheiro. Além disso, o município de Imperatriz possui contratos em execução com a Droga Rocha.

A prefeitura de Imperatriz, no período entre 2018 e 2022, a gestão Assis Ramos fechou 16 contratos com a Droga Rocha, totalizando mais de R$ 16 milhões, para o fornecimento de medicamentos.

Ao Atual7, a prefeitura de Imperatriz informou que o servidor citado nas investigações foi exonerado no dia 3 de maio deste ano, mas não informou se a exoneração foi em decorrência das investigações da PF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.