Golpista do Tinder brasileiro deu golpe em mais de dez pessoas

 O esquema é o mesmo: o homem cria um perfil falso em apps de namoro, que leva as fotos dele mesmo, mas conta uma história diferente de vida. Ele é romântico, persuasivo e faz com que as mulheres se apaixonem perdidamente por seu jeito carinhoso.

Em seguida, apesar de se mostrar bem resolvido profissionalmente e com ambições, ele inventa alguma situação na qual só a mulher vai ser capaz de lhe ajudar com dinheiro. A conta não fecha, né?

Acontece que, vivendo essa situação e imersa nessa narrativa, fica muito difícil para a pessoa distinguir o que é real e o que parece golpe, diante de tanto amor demonstrado pelo cara. Por isso, lembrem-se sempre da frase da @naoinviabilize: “Não seja ONG de macho!”.

Diferente do golpista do Tinder do documentário, que inventou que haviam ‘inimigos’ que o queriam morto, o brasileiro Lamartine Castro, que vivia na região de Recife (PE), inventou que tinha uma filha doente em São Paulo e pedia dinheiro emprestado a agiotas, no nome das mulheres com quem se relacionava.

Lamartine chegou a roubar 6 mil reais de uma estudante de 41 anos, que faz faxinas para pagar a faculdade de direito:

“Estou devendo a faculdade, não paguei janeiro, nem fevereiro. Também não comprei os livros que eu gosto de comprar, porque estou me especializando em direito da mulher, e fiquei sem nada. Agora, é levantar a cabeça e correr atrás do prejuízo”, afirmou a vítima.

@quebrandootabu

Portal G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.