Loira mais quente do Maranhão provoca climão com o Safadão

Hoje (05) terá um show de Wesley safadão e Bruno Shinoda em Pedreiras Maranhão. A noite promete agitar bastante, não só nos palcos, mas também nos bastidores. A “Loira mais quente” do Maranhão sabendo do poder de atração que tem causado em alguns artistas, inclusive no mais caro, já vai pegar seu helicóptero e bater em Pedreiras.

Amigos próximos a loira já sabem que ele é alvo da poderosa desde 2015. A esposa do cantor não tem confiança em deixar o marido vim sozinho para o Maranhão, ainda mais depois de boatos que estão surgindo após a ida do cantor á Pipa.

Sempre durante os shows de Safadão é impossível de se ver que a loira mexe com a imaginação do artista, ela sempre fazendo questão de ser notada por ele e lhe causando saia justa. A troca de olhares é nítida.

Talvez ali seja apenas um clima de amizade, ou não, o fato é que a esposa do cantor sabe da existência da “Loira mais quente” do Maranhão, e também sabe que se trata de uma mulher bonita, rica e ‘bem criada’, um conjunto de qualidades que faz com que qualquer homem tenha interesse.

Em Pedreiras o clima promete esquentar bastante, característica principal da “Loira mais quente” do Maranhão.

No Instagram alguns fã clube começam a shippar o casal, referindo-se a maranhense como : A …………. será a amante mais amada do Brasil.

Aí para nós espectadores só nos restam as dúvidas: será? Quem é essa loira?

Zoneamento Industrial é tema de audiência pública em Rosário

O objetivo é esclarecer a população sobre os trâmites para realização do processo de delimitação de áreas destinadas à instalação de empreendimentos industriais e apresentar o projeto de lei que incluirá uma nova zona industrial no município, a Zona Industrial 4 – Z4.

Nesta terça-feira, 3, a Prefeitura de Rosário realizou Audiência Pública sobre o Zoneamento Industrial do Município de Rosário. O evento aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e foi uma parceria com o Conselho Municipal de Cidades.

A Audiência Pública iniciou a discussão sobre a definição de áreas que deverão receber novos empreendimentos industriais no município Rosário. Segundo o Assessor Especial de Assuntos Institucionais do município, George Cunha, o debate sobre esta temática é fundamental para que se possa pensar em estratégias de atração de empreendimentos para a cidade. Ele explica que, por não haver definição dos espaços para instalação, as empresas, ou indústrias, poderiam se instalar desordenadamente em nosso território. “Para evitar isso é necessário que se faça o zoneamento e uma ordenação do espaço urbano”, ressaltou ele, durante a palestra ‘Zoneamento Urbano e Industrial do Município.

O Assessor também aproveitou a ocasião para explicar que diversos fatores devem ser considerados para instalação de empreendimentos, como distância de unidades habitacionais, de zonas rurais e ambientais, e, que somente a partir de análises criteriosas sobre esses espaços é possível definir localizações adequadas. “Devemos ser estratégicos e pensar no entorno, para que todos sejam beneficiados. Só assim conseguiremos potencializar a economia, a partir da instalação de empreendimentos em Rosário”, justificou.

Foi apresentado o projeto de lei que tem por objetivo incluir uma nova zona industrial no município, a Zona Industrial 4 – Z4, que se localizará na região das pedreiras entre os povoados de Itamirim e São Simão.

Além de George Cunha, a audiência pública contou com a presença do Presidente do Conselho das Cidades, José Ribamar Nogueira, o Assessor da Procuradoria do Município, Ygor Fernando Cantanhede Ribeiro, que fez uma apresentação sobre Zoneamento Urbano, Secretários Municipais, Os Vereadores Jardson Frazao e Gilvan da Mocidade, representando a Câmara Municipal de Vereadores e representantes das comunidades e povoados que fazem parte do município de Rosário.

Como ensinar nossas crianças que ninguém pode tocar no corpo delas

Texto de Fabiana Santos, do blog Tudo sobre a minha mãe

O assunto é incômodo mas faz parte daquele grupo de questões que a gente não pode fugir de encarar. Estou falando objetivamente da gente saber como ensinar nossas crianças, mesmo pequenas, a não se tornarem vītimas de abuso físico ou sexual. Por favor, este post é um serviço. Não passe batido.

Pensando nos meus filhos e nos seus, eu pesquisei a respeito do que os americanos – que dão muita importância para o assunto – trazem para ser tratado de forma inteligente. Já foi o tempo que eu achava isso exagerado, hoje concordo demais que é muito, muito melhor prevenir. Então vamos às dicas que eu consegui reunir:

1- Meu corpo é meu: a criança deve entender que o corpo dela lhe pertence, que ninguém tem direito, nem por brincadeira, de ficar tocando nela de forma que a deixe constrangida. Eu sei que a cultura brasileira aceita beijos e abraços sem ter fim. Eu sou assim e meus filhos também. Mas é preciso sinceramente evitar abraços e beijos para desconhecidos ou pouco conhecidos. Uma criança jamais deve ser obrigada a ter contato físico com quem ela não quer.

2 – A lista das pessoas confiáveis: a criança precisa ter a certeza de quem ela pode contar. Quem são estas pessoas: o papai, a mamãe, a vovó, a professora? Que sejam. Mas vai ser muito importante para ela que os pais identifiquem estas pessoas deixando bem claro que a criança tem a quem recorrer, quem ela realmente deve confiar.

3 – Partes íntimas: ninguém toca nas minhas partes íntimas é uma mensagem muito importante que as crianças precisam receber. Ninguém pode pedir que eu toque as partes íntimas dela também. Outra informação importante para as crianças é de que ninguém deve mostrar fotos de partes íntimas para ela. A criança precisa saber que pode contar para sua lista de pessoas confiáveis se algo do tipo acontecer.

4 – Ninguém pode ter segredo desconfortável: a criança tem que ter o ensinamento de que não pode ter segredo com ninguém que peça para algo não ser contado e que a faça se sentir mal ou incomodada com isso. Se isso vier a acontecer, ela também precisa ser ensinada a falar para alguém do seu grupo de pessoas confiáveis sobre essa história de segredo.

5 – Nenhum adulto desconhecido pede ajuda à criança: essa eu achei uma regra de ouro. Os pais devem esclarecer aos filhos que não existe essa história de um adulto desconhecido pedir ajuda para criança (seja na porta da escola, na pracinha, no playground…). Que fique bem claro na cabecinha delas: adultos não precisam de ajuda de criança, isso não existe. Adulto pede ajuda a outro adulto. Com isso em mente, as crianças não titubeiam em dizer não, mesmo que os pais tenham ensinado a elas que elas precisam ser gentis. Assim se alguém abordá-los dessa forma, elas jamais devem seguir ou acreditar nessa pessoa.

Fabiana Santos é jornalista, mãe de Alice, de 5 anos, e de Felipe, de 12 anos. Eles moram em Washington-DC. No ano passado, para ser voluntária na escola da filha, ela precisou fazer um curso para reconhecer e relatar abusos ou negligências cometidos a alguma criança. Este curso, em grande parte dos distritos escolares americanos, é obrigatório e gratuito.

Eleições do TJMA politizadas: advogados e jurisdicionados clamam por mudanças

Mozar Baldez é advogado

O critério de antiguidade para o acesso e exercício da presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão sempre foi uma tradição. No entanto para a próxima gestão esse modelo de escolha está ameaçado de ser rompido. Tudo por conta da partidarização do pleito. A disputa está prevista para o próximo dia 04 de outubro. E cercada por um elevado e condenável grau de politização. Essa intervenção ou influência externa compromete o futuro do judiciário. Na verdade a JUSTIÇA maranhense clama por transparência. Ela já sofreu abalos em face de alguns acontecimentos históricos e incompatíveis com um poder absolutamente independente.

Afora isto a máquina administrativa do TJMA não atende aos principais anseios da população e está comprometida com o atraso e falta de criatividade. A população maranhense acostumou-se ao longo dos tempos a conviver com um poder judiciário absoluto, intocável e incapaz de ser molestado por um cidadão “qualquer”. E sempre pautou suas ações pelo requinte e reserva. A publicidade dos seus atos cingiu-se sempre aos limites dos integrantes do seu corpo. Sobretudo nas questões administrativas e nos pleitos para a escolha dos seus dirigentes. Agora não. Já são contestados e suas eleições vieram ao conhecimento público. Por essas razões, a sociedade sempre teve receio em acompanhar a rotina do poder judiciário. Sequer procura saber se esses acontecimentos que outrora passaram desapercebidos e logo voltam à tona como eleições , são de interesse público e podem modificar o precário atendimento do serviço publico judicial prestado na capital e no interior do Estado. O correto é dizer que o povo teme a justiça pelo que ela é capaz de proporcionar aos cidadãos de baixa renda e naqueles sem influência política, principalmente no quesito INJUSTIÇA.

O Regimento Interno do TJMA prevê que o Plenário elegerá o presidente, vice-presidente e corregedor-geral de justiça em sessão extraordinária, dentre seus juízes mais antigos para mandato de dois anos. Na atual composição e conjuntura a Desembargadora Nelma Sarney é a mais antiga e pela tradição deveria ser aclamada para o próximo mandato já que atende aos demais requisitos. Só que, pelo visto, a regra do jogo poderá sofrer alteração momentos antes da disputa por haver envolvimento político partidário dos pretensos candidatos: a Desembargadora NELMA SARNEY, até então legítima dona da cadeira, como o próprio nome sugere, representa a família Sarney, ainda que não tenha assumido publicamente essa condição. No mesmo sentido o Desembargador José Joaquim, que a mídia em geral vem noticiando tratar-se do candidato oficial do Governo Flavio Dino. Ele também não assume esse ônus. Para advogados , jurisdicionados e sociedade civil em geral nada disso interessa.

O que deve ser levado em consideração e não está sendo pelos candidatos , são as propostas para melhorar a prestação jurisdicional no Estado que está cada vez mais escassa. Ou seja, as últimas administrações, incluindo a atual, não conseguiram implantar na capital e no interior uma justiça célere, que seja capaz de produzir resultados incontestáveis. O próprio CNJ vem se insurgindo sobre a veracidade de dados estatísticos encaminhados pelos tribunais estaduais para o relatório de 2017. O SAMA – Sindicato dos Advogados do Estado do Maranhão vem mostrando reiteradamente e a contra gosto da cúpula indignada, que juízes no interior não cumprem a jornada completa de trabalho. Na mesma senda o Fórum do Calhau se mantém praticamente vazio durante as tardes, numa demonstração de abandono e impotência dos gestores para o combate à MOROSIDADE que desacredita a sua atuação perante as pessoas de bem. Mas será que os desembargadores concorrentes terão coragem de cortar na própria carne privilégios históricos e ilegais dos seus pares em prol do aperfeiçoamento da justiça? Ou pretendem apenas satisfazer as suas vaidades com ingresso nos cargos diretivos em detrimento dos anseios da sociedade e da advocacia ?

A propósito, em 17 de setembro de 2015, em entrevista exclusiva à Coluna do Repórter Tempo, Nelma Sarney , no exercício pleno de corregedora-geral de justiça do TJMA, denunciou a crise na Justiça de 1º grau do Poder Judiciário do Maranhão. As suas críticas contundentes incluíram as Varas Cíveis da Capital, onde segundo ela, ‘’… se avolumaram mais de milhares e milhares de processos que estavam à beira do colapso; disse que parte do pessoal técnico que deveria estar atuando para agilizar a tramitação dessas ações encontrava-se operando fora das suas funções exercendo cargos comissionados em gabinetes de desembargadores; muitos juízes de comarcas do interior não estavam nelas residindo, como exige a regra, e, mais grave ainda, estão abusando da prática TQQ – atuando de terça-feira a quinta-feira, não sendo encontrados de sexta-feira a segunda-feira…’’. Esses e outros problemas foram tornados públicos. Pelo relato da desembargadora-corregedora, nesses segmentos essenciais do Judiciário, ‘’… acontecia uma mistura de falta de estrutura, carência de pessoal especializado – principalmente técnicos legislativos -, acúmulo de processos, lentidão na tramitação, tudo isso agravado por má gestão em algumas Varas cujos titulares, além de não desempenharem suas funções com eficiência, não respeitam algumas orientações e não aceitam a presença e dificultam o trabalho de juízes auxiliares, proibindo inclusive o acesso deles a determinados processos. Nas Varas Cíveis da Capital tramitavam na época dezenas de milhares de processos, número que tende a aumentar diante da situação quase caótica…’’.

De acordo com o relato da desembargadora-corregedora, ‘’… esse quadro de ameaça de caos se verifica também em muitas comarcas do interior, onde, por falta de estrutura e de pessoal, processos se acumulam e a prestação jurisdicional é ineficiente. E para agravar mais ainda a situação, um dos problemas mais graves é exatamente a ausência de juízes nos seus postos de trabalho, situação decorrente do fato de não residirem nos municípios que sediam suas comarcas. E muitos, além de não residirem, só trabalham de terça-feira a quinta-feira, desrespeitando as regras e ressuscitando a famosa e nefasta prática TQQ, que a sociedade acredita ter sido banida do Poder Judiciário…’’. O Desembargador José Joaquim tido como ‘’imprevisível’’ ainda não se pronunciou sobre o que pretende fazer à frente do TJ. Não temos conhecimento de nenhuma crítica sua a respeito da funcionalidade do sistema que pretende gerir ou de sugestões a ofertar.

Na quarta-feira (20/09/17) o atual presidente do TJMA lançou nota de repúdio contra o SAMA e este subscritor pela denuncia que a entidade sindical fez publicamente , pelas redes sociais e mídia em geral de um costumeiro e ilegal ‘’feriado branco’’ , decretado pela grande maioria de magistrados na baixada maranhense no dia 11 de setembro passado (uma segunda-feira). O Desembargador Cleones Cunha chegou ao descalabro de afirmar na malfadada nota de que juízes do interior trabalham a jornada completa e que todos os declarados ausentes pelo SAMA estavam nas comarcas no dia da denúncia , ao invés de mandar apurar.

Resta saber se os pares do atual presidente , inclusive os candidatos, acreditam que ele em sua gestão tenha feito milagre e resolvido os problemas crônicos do TJMA elencados por Nelma em 2015 e reiteradamente mostrados pelo SAMA. E se ele tem razão quando faz elogios solitário à sua administração e afirma que magistrados trabalham de segunda a sexta-feira, mesmo com as prateleiras abarrotadas de processos e os computadores com processos eletrônicos engarrafados à espera do despacho de uma LIMINAR SIMPLES. Não se entende também o por que Cleones não visita o Fórum do Calhau sem anuncio nas tardes sombrias do verão já que não fiscaliza o interior.

MOZART BALDEZ Presidente do SAMA

Hoje Lorena Luiza faria 17 anos

Fica sempre a esperança apesar de os dias…meses…“desaparecida mas não esquecida”.

Hoje (29), a menina Lorena deveria estar ao lado de seus pais, seu filho e familiares para comemorar mais um ano de existência, mas infelizmente o dia reflete tristeza, incerteza e impunidade. A adolescente está desaparecida há 4 meses. O caso segue sem resolução.

Um dia que seria alegremente comemorado se tornou referencia de um dia de luto, tristeza e desespero.

Os dias de Jeaneia Silva e Roberto Furtado são vividos á base de muita tristeza e angústia equilibradas por remédios, onde eles não possuem as  mínimas noticias.

Não se tem informações precisas sobre o que de fato aconteceu a Lorena, a cada mês que vai se findando a chama da esperança que os pais tem em rever a filha, vai se apagando, mas a cada busca cadavérica onde a menina não é identificada, acende uma chama pequena de que talvez, quiçá, encontrar Lorena bem. É muito desesperador a mãe ter o direito de saber onde seu filho estar sendo negado, sendo roubado, mesmo que seja apenas os restos mortais, é duro demais e difícil demais esperar por um filho que a gente não sabe se vai chegar.

É muito triste arrumar a cama daquele filho que nunca mais vai deitar nela. Mais triste é não saber onde o filho está descansando (eternamente ou em cárcere).

Mais uma vida está em risco, pais morrem todo dia aos poucos quando deixam de ver seus filhhos tão amados e queridos mortos ou desaparecidos. Para o Estado Lorena é apenas um número, talvez no índice de morte presumida ou de desaparecidos, porém, para a família ela é uma das razões da existência. Onde está você, Lorena? Que erro tão grande que uma pessoa tão jovem como você cometeu para que te negassem um enterro digno ou quem sabe, por um momento de delírio, uma ligação para comunicar aos seus que você está viva?

A Jeaneia, a sua mãe, quer apenas saber onde está aquele bebê que ela trouxe ao mundo há 17 anos atrás…

Lorena quando era bebê
Adolescente desaparece após sair do Arena Vip na Estrada de Ribamar
Menina que desapareceu em casa de show ainda NÃO foi encontrada
Deputado Wellington denuncia desaparecimento de adolescente e cobra do Governo do Estado investigação para elucidar o caso
Exclusivo! Entenda o sumiço e a suposta morte da jovem Lorena que desapareceu misteriosamente

Buscas por suposto cadáver de Lorena Luiza segue sem êxito; 4 meses sem solução

O sumiço da adolescente Lorena Luiza Furtado já repercutiu até na Assembléia Legislativa, contudo, as autoridades policias ainda não deram um desfecho para o caso. O paradeiro de Lorena ou de seus restos mortais seguem sem pistas, sem paradeiro. 

A jovem sumiu desde o dia 07 de maio, foi vista pela última vez na companhia de uma amiga, após sair do Arena Vip, na Estrada de Ribamar, desde então, tudo que as autoridades possuem são depoimentos contraditórios e suposições, nada comprovado de fato.

Na manhã de hoje (29), a Polícia Civil realizou uma busca cadavérica na Vila Maranhão, na região Itaquibacanga. Contudo, nada foi encontrado. De acordo com informações, um pedido de prisão preventiva foi decretado em desfavor de um dos possíveis envolvidos, que segue em segredo de Justiça.

Enquanto isso o pai de Lorena e a mãe encontram-se com problemas de saúde adquiridos por conta da grande tensão que estão vivendo sem conseguirem informações que os levem até a filha.

Em julho a mãe de Lorena recebeu uma ligação de uma pessoa anônima avisando que teria um vídeo que registrava a morte da garota, descreveu a cena como chocante e cruel. Falou que a menina foi atraída para uma “casinha” e logo em seguida, morta com requintes de crueldade. Contudo, quando confrontada, essa mesma pessoa afirmou que não possuía mais o vídeo em mãos.

Hoje (29) seria um dia de festa para os familiares de Lorena Luiza, pois a jovem estaria completando 17 anos. Lorena tem um filho menor de 1 ano que sente falta da mãe.

Barraco! Wellington do Curso denuncia Flávio Dino na Polícia Federal e no MPF

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) encaminhou ofício, nesta quinta-feira (28) ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal do Maranhão. A denúncia formalizada pelo deputado é de vários maranhenses que estão indignados com os “serviços” prestados pelo Governo do Maranhão e foi protocolada no âmbito federal por se tratar de recursos com origem junto ao BNDES, também federais.

 

 

Trata-se de obras entregues e que, em menos de 20 dias, em virtude da péssima qualidade dos serviços, já estão em fase de destruição. Como exemplos há a Ponte do Balandro, em Bequimão, que foi inaugurada há menos de um mês e já tem buracos e rachaduras no asfalto.

“Já fizemos várias denúncias. Nós moradores, percorremos a estrutura a pé para confirmar a má qualidade das obras e sempre saimos dos local com certeza de que somos vítimas de uma enrolação e de uma propaganda enganosa. Em alguns pontos, o piso afunda ao ser pressionado por um dos pés. É possível também arrancar com os dedos lascas do asfalto sem qualidade. Imagine quando começar a chover. Estão pensando que nós somos bestas. Tenho certeza que isso não é barato e quem vai pagar somos nós, a população”, denunciou o senhor Raimundo, de Carolina, no sul do Maranhão.

Ao fundamentar a denúncia, o deputado Wellington deixou claro não ser contra a pavimentação asfáltica e exigiu a qualidade nos serviços feitos.

“Não somos contra a recuperação asfáltica. Ao contrário, o Programa ‘Mais Asfalto’ é uma ideia boa, algo que faria a diferença na vida das pessoas caso fosse feito com seriedade e com responsabilidade. Infelizmente, o que a população encontra é algo de péssima qualidade. Isso pode ser comprovado em Arari, quando menos de 20 dias após a entrega da pavimentação, já era possível comprovar a péssima qualidade do asfalto. O mesmo ocorreu em Carolina, em trechos das avenidas Elis Barros, Frederico Martins e Avenida Brasil. É dinheiro público jogado fora em um asfalto de péssima qualidade evidenciado tanto na capital como no interior do Estado. Algo tem que ser feito diante disso. Não é porque o serviço é público que pode ser feito de qualquer forma. Alguém precisa ser responsabilizado por esse crime”, pontuou o deputado Wellington.

Além das denúncias quanto à péssima qualidade do asfalto, o deputado Wellington ainda apresentou o absurdo que é se ter dois postes no meio da rodovia MA-272 entre Barra do Corda e Fernando Falcão, o que mostra o verdadeiro desperdiço dos recursos públicos aplicados sem qualquer tipo de qualidade, sem controle e sem fiscalização, já que asfaltaram a rodovia mesmo com os postes como empecilhos, transformando-se em chacota nacional.

Luis Fernando vai à Câmara e apresenta prestação de contas do segundo quadrimestre de 2017

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, apresentou nesta terça-feira (26), no Plenário da Câmara Municipal, os balanços Contábil e Financeiro da sua administração referente ao 3º quadrimestre de 2017.  A prestação de contas cumpre a Lei Complementar Federal nº 101/2000 da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Além de destacar as ações positivas do governo, o prefeito elencou os avanços registrados nos últimos nove meses da sua gestão. Somente no período de comemoração do aniversário de emancipação política do município, foram mais de 25 obras e ações de grande impacto social e econômico em benefícios da população de todas as regiões do município.

“No lugar de reconstruir a Biblioteca das Vilas, eu gostaria de já ter construído outra biblioteca em outro bairro. No lugar de reconstruir as praças que reconstruímos e entregamos nos últimos dias, eu queria ter construídos outras. No lugar de recuperar 80 quilômetros de ruas e avenidas que já recuperamos nos últimos nove meses, que foram destruídas por falta de manutenção, conservação e limpeza, gostaria de estar pavimentando novas vias. Mas enfim, mesmo com todas essas dificuldades, ninguém vai nos tirar dos nossos objetivos de reconstruir e desenvolver novamente esta cidade” refletiu o prefeito durante seu discurso na tribuna da Câmara.

Outro ponto bastante aplaudido pela plateia presente e elogiado pelos vereadores, foi sobre as ações que a atual gestão move contra a empresa concessionária dos serviços de água e esgoto do município, a BRK Ambiental. De acordo com que informou o prefeito, há a suspeita de irregularidades na contratação da empresa desde o processo de licitação e além disso, os serviços que a empresa presta estão eivadas de falhas e de reprovação da população. “Todas estas situações estão sendo questionadas pela via judicial”, informou Luis Fernando aos vereadores.

Segundo o presidente da Câmara, Beto das Vilas, para reconstruir é preciso determinação. “E é exatamente isso que estamos vendo na gestão do prefeito Luis Fernando. Somos todos testemunhas de que a cidade foi totalmente destruída, mas que hoje já conseguimos perceber seu recomeço”, acentuou o vereador.

Na mesma linha, pontuou o vereador Osvaldo Brandão (PMDB). “Nós precisamos ser humildes para reconhecer nossos erros e não tenho problema em dizer que da última vez que o prefeito esteve aqui na Câmara, fui injusto com ele e errei na minha avaliação, mas hoje tenho a oportunidade de dizer que o prefeito Luis Fernando mostra respeito e transparência com a Câmara e com o povo, aplicando os recursos com responsabilidade e gerindo problemas que afetam diretamente a população, a exemplo da luta pela qualidade da água oferecida”, finalizou o parlamentar.