Que mico! Banda Filhinho de Papai tem ônibus apreendido pela Federal por falsificação

Eita complicação, né minha gente? 2016 tinha que terminar com essa maré baixa.

A Banda Filhinho de Papai, que só pelo nome já sentimos até vergonha alheia, agora passa um constrangimento gigante.

O buzão da banda está com o CRV falsificado e cheio de complicações judiciais, que envolvem a Justiça do Trabalho.

O veículo apresentava uma série de irregularidades, até com relação a equipamentos de segurança. Que vergonha mesmo!

A coisa sempre pode piorar, principalmente quando usamos mentiras para justificar nossas falhas, e foi exatamente  o que a banda fez. Disse ao vereador Francisco de Formosa da Serra Negra que o ônibus dele havia quebrado, ocultando que havia sido apreendido pela Polícia Rodoviária Federal justamente por estarem totalmente com documentos irregulares.

A cidade ficou abalada pois a banda não honrou o compromisso de participar de um evento tradicional da região, usando argumentos mentirosos de acordo com o vereador Francisco.

A banda alega que já comprou o ônibus com documentos fraudulentos e que a empresa que fez a venda tem complicações hahahahaha. E diz que está sendo resolvido o problema.

Ai eu te pergunto, esse não era o ônibus da antiga Esfregue e Dance que foi abandonada pelo atual dono da banda que pagou mico? Esse problema será se não é antigo? Sei não!!!

E outra como se faz um investimento desse porte às cegas? Ninguém deve se eximir de cumpri a Lei alegando ignorância. Tem muita coisa errada e incoerente.

Promoter de festas é preso acusado de comandar associação de tráfico de drogas

A polícia civil através da Delegacia de Alto Parnaíba deflagrou no fim da tarde de hoje a Operação “PROMOTER”, onde foram cumpridos 07 (sete) mandados de prisão por Crime de Tráfico e Associação para o tráfico.

As investigações tiveram início no dia 07.12.2016, quando uma equipe da Delegacia de Roubos e Furtos de São Luís chegou em ordem de missão nesta Cidade e passou a investigar o tráfico de drogas e descobriu que o indivíduo chamado ELOÍSIO MARCARENHAS BATISTA, o qual é “Promoter” de festas, era o líder da maior associação de traficantes da região, formada por seus “aviões” CANDIDO HENRIQUE NORONHA BRITO, FABÍOLA ALVES DA SILVA, GENÉSIO VIEIRA DE ANDRADE, KAYKE DA COSTA MENDES, ADRIANO PEREIRA DE SOUSA e WANDERSON RIO BRANCO DE MOURA os quais vendiam de cocaína, crack, maconha e LSD nas festa promovidas pelo ELOÍZIO e praticavam a venda intensa de entorpecentes em toda cidade e região.

ANo celular do ELOIZIO, que fora apreendido com ele há alguns dias atrás, foram extraídas várias mensagens no WATHSAPP, referentes a comercialização de entorpecentes.

MPMA propõe acordo para evitar promoção pessoal de gestor em Viana

Com base no princípio da impessoalidade da administração pública, o Ministério Público do Maranhão propôs, em 30 de novembro, Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), solicitando que o prefeito de Viana, Francisco Gomes (mais conhecido como Chico Gomes), providencie, em 15 dias, a retirada de fotografias de agentes políticos e públicos em órgãos do município.

26/01/2012. Crédito: Gilson Teixeira/OIMP/D.A Press. Brasil. São Luís – MA. Sec. Chico Gomes Balanço SEDES

Formulado pelo titular da 1ª Promotoria de Justiça da comarca, Lindemberg do Nascimento Malagueta Vieira, o documento estabelece duas multas por descumprimento. Os valores individuais, de R$ 1 mil diários, devem ser pagos pelo Município e pelo gestor municipal.

Em caso de reincidência, este valor será dobrado e corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Os montantes devem ser transferidos ao Fundo Estaduais de Direitos Difusos.

OBRIGAÇÕES

Pelo TAC, o prefeito Chico Gomes está obrigado a impedir que sejam colocadas fotografias de agentes políticos e agentes públicos nos órgãos da administração de Viana.

A determinação não se aplica às imagens de ex-prefeitos que façam parte do acervo da Casa de Cultura, Museu Histórico Municipal ou outro órgão semelhante. Outra exceção refere-se às imagens expostas na galeria de ex-prefeitos do município.

A desobediência às cláusulas do Termo de Ajustamento de Conduta também implica a tomada de medidas judiciais cabíveis.

O município de Viana localiza-se a 227 km de São Luís

Retratação: vereador Astro de Ogum nunca teve mansão no Araçagy

Levado ao erro por fontes que não merecem mais confiança, o blog chegou a publicar aqui e depois corrigiu que o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum, seria dono de uma mansão na praia do Araçagy. Na verdade ele tem uma casa no Olho D`água onde sempre reuniu amigos e filhos de santo para festejos religiosos muito antes de ser vereador e hoje faz encontros políticos também.

Outro equivoco foi informar que o vereador possui carros de luxo, da mesma forma que insinuou um auditoria na relações financeiras entre a Câmara Municipal de São Luís e o Bradesco. Conforme o que foi tudo apurado até hoje, Astro de Ogum não tem relação com um rombo deixado ao banco por uma funcionária do próprio Bradesco.

Assim sendo, o blog mostra aqui que sabe reconhecer os erros ou injustiças se, por acaso, as comete.

Malandramente! Safadão não atende fãs em hotel e usa cansaço como desculpa

Wesley Safadão cantou na cidade de Manaus na última quarta-feira (7)  durante o evento Garota White. Até aí tudo, foi lindo, casa cheia, festa amanhecendo o dia.

Ocorre que o pior vem depois.Após o término do show, Safadão se dirigiu para o hotel já pela manhã onde tentou dormir.

Wesley relatou que estava extremamente cansado e passou a manhã toda sendo incomodado por fãs e até pelo segurança do hotel. Foram horas e horas batendo na porta do quarto e interfonando, impedido que o sono fosse prolongado.

“Teve uma hora que eu abrir a porta do quarto  um rapaz saiu correndo”, era um fã de brincadeira.

Eles queriam fotos, estavam fazendo plantão no hotel, ligando sem parar eu perdi a cabeça e disse que não atenderia ninguém,  disse.

Ao sair do quarto com direção  ao elevador, Wesley foi xingado, ameacado e um dos fãs chegou até desejar a morte do cantor. A mãe de uma das fãs ficou indgnada pois disse que a filha estava horas e horas esperando apenas uma foto.

Tinha muita gente esperando Wesley acordar, porém ele saiu do hotel sem atender ninguém.

A história foi relatada por ele mesmo através de vídeos no instagram. Pediu desculpa e disse estar extremamente arrependido pelo que fez.

Ontem foi realizado um show bastante aguardando em Imperatriz, no Maranhão. Lá, Wesley roubou a cena e passou horas e horas atendendo os fãs e batendo fotos.

Veja abaixo um relato que foi solto na internet (talvez pela produção do artista como forma de tentar apagar a imagem ruim que alguns fãs estão).

Vai Safadão

Sobre o show de Wesley Safadão. Foi incrível, lindo, envolvente e muito organizado, marca singular da NT Shows. Mas vou entrar na questão da polêmica, em Manaus. Como o sucesso avassalador, também vem as polêmicas. E foi em meio a muita polêmica, que Wesley Safadão desembarcou, às 23h em Imperatriz, nessa sexta-feira, indo direto para o Parque de Exposições. Sem grande esquema de segurança, coisa comum para um artista do nível dele, Safadão chegou e já foi tirando fotos com as pessoas que estavam nos bastidores. Consciente do erro que talvez possa ter cometido em Manaus (por causa do cansaço, quem acompanha de perto sabe), em Imperatriz ele não fez diferente, do que fazia quando ainda não era tão famoso: Esbanjou simpatia. Fez tal qual todas as vezes em que cantou aqui, e olha Safadão canta Em Imperatriz desde 2012, todos os anos. Foi singular, foi intenso, foi verdadeiro. Eu, Angra, posso sim falar, fui a pessoa escolhida pela produção local, quem ficou com ele durante o atendimento aos fãs, mais de 50, no camarim. Digo sem medo de errar, Safadão atendeu a todos de forma singular, de forma intensa. Tirou fotos, fez vídeo, conversou. Ou seja, não tem estrelismo, não mudou. Aliás, mudou, mudou para melhor. Conversamos sobre a polêmica, e como em, 2013 quando perguntei a ele sobre ter trocado de mulher, ele não fugiu da pergunta e disse que se arrepende de não ter atendido aos fãs, no hotel em Manaus, coisa que ele já justificou: estava cansado. Então, antes julgar, lembre-se, Safadão antes de ser o fenômeno que é, é humano, de carne e osso, erra, como todos nós.

Restaurantes conceituados da capital não recebem selo de qualidade do Procon

Vários restaurantes da capital principalmente aqueles mais antigos ficaram de fora e não receberam o selo de qualidade e reconhecimento  dado pelo Procon/MA.

Consequencia disso deve ser a falta de investimento feito por alguns empresários do ramo gastronômico. Restaurantes requintados e de boa culinária mas que tem perdido clientes devido a falta de inovação.

Em São Luís, o certificado com cinco estrelas foi entregue ao Restaurante Escola Senac, Restaurante Ferreiro Grill, Restaurante Guidô, Restaurante Maracangalha, Salomé Bar, Pizzaria Vignoli, Pizza One, Restaurante Cabana do Sol (unidades Litorânea e Ponta D’Areia), Restaurante Cheiro Verde, Feijão de Corda (unidades Olho D’Água e Grill), Haruki Sushi, Maggiorasca, Petiscaldos, Pizza Hut, Churrascaria Passo Fundo, Churrascaria Sal e Brasa, Compainha da Picanha, Creperia Mariposa, Eko Sabor Natural, Bar Mercearia, Barriga Verde, Bondiboca (Lagoa), Buteko da Lagoa e Casa Rossini.

A certificação com quatro estrelas foi dada ao Botequim São Luís e Esfihamania (Lagoa), enquanto o selo com duas estrelas foi concedido ao Babbo Giovani.

Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Maranhão, Jorim Ithamar, a certificação é importante para transmitir segurança ao consumidor. “Nós fornecedores temos que ter um respeito com o consumidor quanto à acessibilidade, alimentação, segurança alimentar, etc. Essa iniciativa faz parte do nosso seguimento para oferecer o melhor ao consumidor”. O presidente do SINDBARES, Francisco Neto também esteve presente à cerimônia.

Como receber o Selo Procon de Qualidade

O critério para o recebimento do selo é o cumprimento de quesitos obrigatórios, como, por exemplo, a informação de que o pagamento da taxa de 10% é opcional, as formas de pagamento, oferta de comanda para consumo, garantia de acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, e, também, de quesitos facultativos, como o cardápio em outro idioma e a informação quanto a ingredientes que podem causar alergias alimentares.

 

Então é Natal!!! AL-MA vai gastar R$ 635 mil com iPhones, Samsungs e iPads

Do Atual7

Serão adquiridos 60 aparelhos iPhones, 65 Samsungs e 55 iPads. Processo será iniciado pela CPL da Casa nesta quarta-feira 7

A Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão vai desembolsar R$ 635.086,00 (seiscentos e trinta e cinco mil e oitenta e seis reais) com a aquisição de celulares e tablets para uso do Complexo de Comunicação da Casa, com o objetivo de “atender as necessidades na atividade do parlamentar, sua assessoria e setores administrativos”.

Segundo apurado pelo ATUAL7, ao todo, serão comprados 60 iPhones, 65 Samsungs e 55 iPads.

A cotação dos preços, por aparelho, está estimada em R$ 1.587,40 (hum mil, quinhentos e oitenta e sete reais e quarenta centavos) por Galaxy J7 Metal; R$ 3.419,40 (três mil, quatrocentos e dezenove reais e quarenta centavos) por Galaxy S6 Edge; R$ 3.962,00 (três mil, novecentos e sessenta e dois reais) por iPhone 6s; e R$ 4.183,00 (quatro mil, cento e oitenta e três reais) por iPad Air 2. Os aparelhos de iPhone e de iPad devem ser na cor prata; de Galaxy S6 Edge na cor branca ou prata; e de Galaxy J7 Metal na cor dourado ou prateado. A capacidade de memória interna varia entre 16Gb a 32Gb para os celulares e deve ser de 64Gb, obrigatoriamente, para os tablets.

O chefe da Comunicação da Assembleia Legislativa maranhense, Carlos Alberto Ferreira, é quem comandará o contrato para aquisição de celulares e tablets para a Casa

O recebimento e abertura dos envelopes de proposta de preços e de documentação de habilitação está previsto para acontecer às 9 horas e 30 minutos desta quarta-feira 7, no auditório da Comissão Permanente de Licitação (CPL) da AL-MA, que fica no próprio Palácio Manoel Beckman, sede do Poder Legislativo estadual, em São Luís.

Contudo, de acordo com o próprio edital do pregão, o contrato vigorará apenas até o dia 31 de dezembro deste ano, com vigência contada a partir de sua data de assinatura.

A justificativa apresentada pela Assembleia para o dispêndio é que a aquisição dos aparelhos “visa a melhoria dos serviços prestados pelos Parlamentares e Corpo Administrativo, promovendo uma melhor integração com os demais poderes públicos e população em geral, auxiliando o parlamentar do desempenho do seu mandato”.

“A visão quanto a aquisição de tais dispositivos portáteis, é a de possibilitar acesso diversificado a informações de e-mails, mensagens, documentos, entre outros recursos. Com a evolução da tecnologia, torna-se imprescindível a disponibilização de equipamentos modernos, que possam oferecer maior produtividade e eficiência aos trabalhos dos parlamentares e corpo diretivo deste Parlamento”, diz trecho do documento.

O Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão, a quem será destinada a responsabilidade sobre o uso dos aparelhos, é comandado pelo baiano Carlos Alberto Ferreira da Silva, amigo pessoalíssimo do presidente da Casa, deputado Humberto Coutinho (PDT).

Em passado recente, Carlos Alberto foi acionado pelo Ministério Público do Maranhão por uso de notas fiscais supostamente frias e superfaturadas em mais de 300% para justificar gastos na gestão de Coutinho na prefeitura de Caxias. O diretor de Comunicação Social da Assembleia já chegou, ainda, a ser indiciado pelos crimes de formação de quadrilha ou bando, concussão e prevaricação, em São Paulo, durante sua passagem pela direção administrativa da extinta Metrô e da Companhia Municipal de Transportes Coletivo (CMTC), onde era conhecido como “Carlinhos”. Sobre as acusações, ele afirma veementemente haver sido inocentado pela Justiça.

Ex-prefeito de João Lisboa é condenado por improbidade administrativa

A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) manteve sentença que condenou o ex-prefeito de João Lisboa, Francisco Alves de Holanda, ao cumprimento de diversas penas por atos de improbidade administrativa. Além da indisponibilidade de seus bens – limitada ao montante de R$ 2.8 milhões para garantir eventual ressarcimento ao erário – o ex-gestor, após esgotados os recursos, também sofrerá penas como suspensão dos direitos políticos, multas civis, ressarcimentos ao erário e proibição de contratar com o Poder Público.

Francisco Holanda foi acionado pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), por meio de ação civil pública, em quatro diferentes condutas que teriam ocorrido durante sua gestão na Prefeitura de João Lisboa. Pelo ato de aplicação de percentual a menor no desenvolvimento do ensino no Município, ele foi condenado à suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com o Poder Público por três anos e multa civil de 20 vezes a remuneração do cargo
Pela conduta de fragmentação de despesas com dispensa indevida de licitação, a condenação determina o ressarcimento ao Município de João Lisboa no valor de R$ 321 mil, suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público por cinco anos. Pelo ato de ausência de processo licitatório, ele foi condenado a ressarcir ao erário de João Lisboa a quantia de R$ 267 mil, pagando multa civil de duas vezes em relação ao valor do prejuízo sofrido pelo Município, tendo a suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público por cinco anos.

Pela ausência de comprovação de despesas, ele ainda foi condenado a ressarcir o erário em R$ 237 mil; multa civil de duas vezes em relação ao valor do prejuízo causado ao Município, além da suspensão dos direitos políticos pelo prazo de oito anos e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de dez anos.

Em recurso interposto junto ao TJMA, o ex-prefeito pediu a reforma da sentença e improcedência dos pedidos do MPMA, alegando que não houve ato lesivo ao erário, enriquecimento ilícito ou violação aos princípios da Administração Pública. Afirmou ainda que, durante o exercício financeiro de 2003 – ano apontado pelo Ministério Público – não foram comprovados dolo ou má-fé do ex-gestor, entre outros argumentos que rebatem a existência de atos de improbidade.

Para o relator do recurso, desembargador Antonio Guerreiro Junior, as teses da defesa não se sustentaram diante das provas apresentadas no processo, devendo ser mantidas todas as condenações. O desembargador considerou corretas as sanções fixadas, por respeitarem a Lei de Improbidade Administrativa e princípios como proporcionalidade e razoabilidade.

>Guerreiro Júnior relatou que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) desaprovou as contas do Município, através de relatório técnico que constitui prova da conduta ímproba de aplicação de despesas em educação abaixo do piso constitucional. Houve ainda comprovação da ausência de licitação e dispensas ilegais em mais de dez contratações públicas no ano de 2003 – que excederam o limite para dispensa de licitação –, e ausência de comprovantes de despesas no mesmo exercício. (Apelação Cível nº 12.937/2015)