Todos os posts de Tâmara Silva

UNIMED é penalizada por negar radiografias a bebê

Uma sentença da 1ª Vara Cível de Imperatriz condenou a UNIMED Imperatriz Cooperativa de Trabalho Médico ao pagamento de indenização por ter se recusado a realizar radiografias de crânio e face do paciente D. S. B. Destaca a sentença que D. S. B. e C. G. B., qualificados nos autos, ingressaram na Justiça com a presente ação, em face de Unimed Imperatriz, alegando que, no dia 2 de abril de 2015, foi contratado em favor de Daniel um plano de saúde denominado UNIVIDA NACIONAL, operado pela requerida. A sentença foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico no dia 4 de outubro.

De acordo o pedido inicial, o primeiro requerente D. S. sofreu acidente com trauma na cabeça, o que levou seu pai, o segundo requerente, a buscar atendimento no estabelecimento hospitalar administrado pela requerida (Hospital Unimed Imperatriz). Na ocasião, o médico plantonista prescreveu medicação e solicitou a realização de radiografias de crânio e face, em caráter de urgência, as quais foram negadas pela operadora de plano de saúde com o argumento de que o paciente estava em período de carência até 28 de setembro de 2015.

Os autores sustentam que a negativa foi abusiva, pois se tratava de situação de urgência, conforme indicação médica constante da guia de solicitação do procedimento. Acrescentam que, diante da conduta da demandada, o bebê (então com nove meses), teve que ser levado durante a madrugada ao Hospital Municipal Infantil, a fim de obter o atendimento médico necessário. Com base nisso, pedem a condenação da requerida ao pagamento de indenização por danos materiais e morais, sem, contudo, especificar em que consistiriam os primeiros.

Quando citada, a parte requerida apresentou contestação, arguindo, em síntese, que o contrato do autor D. teve início em 2 de abril de 2015 e que o procedimento solicitado exige cumprimento de carência de 180 (cento e oitenta) dias, uma vez que não se enquadra na categoria Raio-X simples; que não havia indicação de urgência/emergência para realização do procedimento; inexistência de conduta ilícita pela requerida e consequente ausência de danos morais.

“Na hipótese em apreço, o requerente D. de apenas 9 (nove) meses de idade, sofreu trauma na face, sendo solicitada pelo médico que o atendeu no pronto-socorro a realização de radiografias em caráter de URGÊNCIA, conforme se verifica da guia de serviço anexado aos autos. A requerida, por sua vez, afirma que o procedimento solicitado exigia o cumprimento de carência de 180 (cento e oitenta). Nada mais absurdo! E a requerida bem sabe disso! Ora, nos termos do art. 12 da Lei n. 9656/1998, os planos de saúde ofertados pelas operadoras ao mercado de consumo devem cumprir algumas exigências mínimas, dentre elas destacando-se o que estabelece seu inciso V, quando fixar períodos de carência”, explica a Justiça ao decidir o pleito.

E continua: “Como se observa da anotação constante da guia subscrita pelo médico plantonista que prestou o atendimento à criança, o procedimento solicitado era de caráter urgente, inclusive escrita com destaque. Mesmo reconhecendo que são válidas as cláusulas que estabelecem períodos de carência para realização de determinados procedimentos em contratos de planos/seguros de saúde, o fato é que, no presente caso, o prazo a ser aplicado era de 24 h (vinte e quatro horas), a teor do dispositivo legal supracitado. Nada, absolutamente nada, sustenta o argumento de que seria 180 dias”.

Para o Judiciário, nas presentes circunstâncias seria forçoso reconhecer como indevida a recusa do atendimento ao requerente D, uma vez detectada a abusividade por parte da operadora de plano de saúde consubstanciada na negativa de autorização de realização do exame de que tanto necessitava. “Cabe aqui frisar que, em razão da referida negativa de atendimento, os autores precisaram buscar atendimento junto ao Sistema Único de Saúde e somente lá conseguiram realizar o exame necessário. Lamentavelmente, condutas semelhantes à verificada nestes autos têm se mostrado costumeiras, obrigando os consumidores ao constrangimento de buscar atendimento por entidade estatal (SUS), submetendo-se não raro a longas esperas, condições precárias de acomodação e atendimento, entre outros dissabores, os quais constituem justamente a razão para que se busque a contratação de um plano de saúde”, expressa a sentença.

“Por todo o exposto, nos termos do art. 487, I, CPC/2015, julgo resolvido o mérito da presente demanda e acolho parcialmente os pedidos constantes da inicial, para o fim de condenar a Unimed Imperatriz Cooperativa de Trabalho Médico a pagar a importância de R$ 3.000,00 (três mil reais) para o autor D. S. B. e R$6.000,00 (seis mil reais) para C. G. B., a título de indenização por danos morais”, concluiu a sentença, negando o pedido de indenização por danos materiais.

Policial que prendeu “Rubinho” na novela é o mesmo que o encarcerou na vida real

De acordo com Fabiana Escobar, a Bibi Perigosa da vida real, os policiais que prenderam o Rubinho da novela ‘A força do querer’ são os mesmos agentes da Policia Civil que algemaram seu ex-marido. Os agentes civis Reinaldo Leal e Alexandre Estelita participaram da novela na captura de Rubinho.  

Glória Perez fez questão de colocá-los para prender o bandidão da novela como uma menção e aproximação do que só quem vivenciou podia interpretar. Os policiais ganharam elogios dos internautas e até da própria “Perigosa”, a autora do livro que inspirou a roteirista global.

Ela classifica a investigação feita pelos agentes civis Reinaldo Leal e Alexandre Estelita como bem feita e que resultou em condenação do “Rubinho” da vida real.

Fabiana diz que apesar de tudo isso não sente nenhuma raiva pelos agentes, muito pelo contrário sente admiração por eles. Ela alega que foi muito bem tratada por eles, que eles jamais forjaram nada para incriminar sua família. Trataram ela e o ex marido bem e sempre os incentivando a estudar, procurar um profissão digna.

Abaixo o relato de Bibi Perigosa:

Prefeito dá calote na Turma do Saco, mas não esquece de pagar cachê dos cantores evangélicos

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, ainda não realizou o o pagamento da premiação do carnaval 2017. O ano já está acabando e outro carnaval irá se iniciar e  Turma do Saco, que foi o bloco campeão não recebeu nenhum centavo do que lhe é devido.

Desde que o prefeito Edivaldo Junior assumiu as manifestações culturais gastam dinheiro para a compra de indumentárias, acessórios para se apresentar nas festividades da cidade e quando é na hora de receberem o pagamento nada. Muitas conseguem crédito na praça e depois ficam passando vergonha porque não tem o dinheiro para pagar, sem contar com os recursos atraídos a agiotas. E a cada mês que passa sem o pagamento que lhe é devido os diretores dos grupos vão passando vexame.

Apoiar manifestação folclórica não consta nas regras da consciência do prefeito Edivaldo Holanda Junior. Muito menos honrar compromissos com manifestações por ele consideradas pagãs. Mas os cachês de Aline Barros e Bruna karla, cantoras gospeis, são pagos antecipadamente, além de beirarem a casa dos R$ 100 mil.

Abaixo a apresentação da Turma do Saco no Carnaval 2017:

BABADO! Mulher de vereador invade casa da atual e quebra o pau em Paço do Lumiar

Luciana Oliveira Campos, esposa do presidente da Câmera de Paço do Lumiar, Marinho do Paço, invadiu na noite deste domingo (08) a casa de uma suposta amante  do marido. Ela entrou na residência da suposta amante e começou a quebrar tudo, desde o carro até os portões. 

Não satisfeita, a mulher furiosa agride fisicamente e agredi a mãe da suposta amante fisicamente com um tapas na cara e um puxões de cabelo, mesmo sabendo que a mesma tem problemas cardíacos. A esposa do vereador ameaçou todos na casa falando para a suposta amante que sabia onde ela estudava e onde ela malhava e que iria “bater lá” para “terminar o serviço”.

Luciana estava acompanhada da sua compadre e ainda levou seus dois filhos para presenciarem toda a baixaria.

O caso foi além das pancadas, pois uma criança de apenas 5 anos presenciou as agressões feitas contra a avó e um senhor de 85 anos passou mal com a situação caótica em que sua casa se encontrava. Além da criança e o idoso, uma jovem que possui síndrome do pânico precisou ser hospitalizada.

O vereador Marinho do Paço e a Luciane estão apenas 30 dias separados, segundo informações registradas em BO.

Abaixo o BO:

Abaixo alguns trechos que mostram o momento:

Paciente recebe visita “QUENTE” no Hospital São Domingos

Uma jovem foi fazer uma visita nada convencional para um paciente que estava internado no Hospital São Domingos em São Luís. Durante a visita, a moça aproveitou para subir na cama e fazer poses sensuais para que o rapaz se animasse um pouco.

Durante a estadia da jovem no São Domingos, o paciente aproveitou para fotografar a moça em sua iniciação e espalhar no WhatsApp toda a cena.

O fato foi considerado inusitado em São Luís…

 

Tristeza! Frentista de posto é executado durante tentativa de assalto no São Cristóvão

Um homem ainda não identificado deu voz de assalto no Posto São Cristóvão, em São Luís. Um frentista ao se aproximar do bandido, acabou levando um tiro na região da cabeça e veio á óbito no local.

O assassino se evadiu do local e abandonou a moto que pilotava ao lado do corpo do frentista.

Aguarde mais informações…