BBB 19: delegacia do Rio de Janeiro investiga participantes por racismo

Universa

A 19ª edição do Big Brother Brasil está fazendo todo mundo repensar seus preconceitos — em menos de um mês, alguns brothers e sisters já foram acusados de machismo, homofobia, abuso sexual e maus tratos com animais, por exemplo.

Pois nesta segunda-feira (11), a Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) do Rio Janeiro instaurou um inquérito para apurar casos de racismo dentro da casa.

Em nota enviada à Universa, a Polícia Civil informou que o processo corre sob sigilo e, por isso, não pode informar quais participantes estão sendo investigados e por quais atitudes.

Polêmicas

Os episódios mais recentes acusados de racismo nas redes sociais envolvem os participantes Maycon, Paula e Hariany.

No sábado (9), durante uma festa, Maycon disse que “sentiu arrepios” ao ver os participantes Gabriela e Rodrigo, que são negros, dançando uma música do cantor Jorge Aragão, que também é negro.

“Cumprimentei, conversei e de repente eu senti um arrepio. Começou a tocar umas músicas esquisitas. De repente, comecei a olhar e escutar uns negócios. Aí veio Jesus Cristo em minha mente [e disse]: ‘Se fizer igual a eles, eles ganharão mais força’. Eu não sou doido”, falou.

Em outro episódio, Paula disse a Hariany que tem medo de religiões de matriz africana: “Eu tenho muito medo do Rodrigo. Ele fala o tempo todo desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso, mas nosso Deus é maior”.

Maycon é um dos participantes envolvidos em polêmicas de racismo Imagem: Reprodução/GloboPlay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *