Prefeitura de Rosário inicia projeto Saber Viver no município

Contribuir para o combate à violência sexual contra crianças e adolescentes. Este é o principal objetivo do Projeto ‘Saber Viver’, lançado nesta segunda-feira, 6, em Rosário. O evento aconteceu no Ginásio Salatiel Paiva, no povoado São Simão.

O Saber Viver é executado pelo Grupo de Apoio às Comunidades Carentes do Maranhão (GACC), com apoio da Prefeitura de Rosário, por meio da Secretaria Municipal de Educação. Inicialmente, o Saber Viver será desenvolvido nas escolas Klepper Aquino, Januário Carvalho, Maria das Mercês, Ruth Tavares, Santa Tereza, Manoel Silva Cantanhede e São Camilo de Lellis, todas da rede municipal. “Buscamos implantar nestas unidades por elas estarem localizadas em áreas consideradas vulneráveis”, revela a prefeita Irlahi Moraes (PMDB).

Ao todo, serão beneficiados 633 estudantes. Nas escolas José Maria Saldanha, Kepler Aquino e Santa Tereza, serão realizadas duas sessões do Projeto. “A previsão é que as atividades nas oito unidades escolares sejam encerradas dia 16 deste mês, na Unidade Integrada Maria Mercês”, explica a coordenadora do Saber Viver, Núbia Oliveira.

Segundo ela, o Saber Viver vem sendo realizado desde 2004. Em 2014, devido ao apoio do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Rosário passou a ser incluído nas ações do Projeto.

O Projeto será desenvolvido por meio de ações educativas e preventivas, como palestras, oficinas e peças teatrais. “Elaboramos diversas estratégias para que possamos ter resultados efetivos no Projeto. Por meio de pequenos contos, por exemplo, desenvolvemos um momento de interação com os estudantes, para que eles possam refletir sobre os diversos tipos de violência”, conta Núbia Oliveira.

Além da violência sexual, o Saber Viver também trabalha com outros temas, como violência física, a negligência e a violência psicológica. “Fazemos isso por meio de personagens já conhecidos pelos estudantes, como a Chapeuzinho Vermelho. Mas também utilizamos material informativo, como cartilhas e folders, além do Disk 100 e do próprio Conselho Tutelar, que funcionam como espaços de denúncia”, finaliza Núbia Oliveira.

Estiveram presentes no lançamento do Saber Viver, a Superintendente Municipal de Juventude, Paula Passos, a supervisora educacional da zona rural, Edimar Moraes, e técnicos da Secretaria Municipal de Educação e alunos da rede municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *