Caos e descaso! Saúde de São Luís está sem medicações para crianças

A solução é contar com a sorte. Edivaldo Holanda Júnior deixa as nossas crianças no descaso.

Postos de saúde De São Luís estão sem medicações para imunização do rotavírus, medicação que deve ser tomada nos primeiros meses do bebê. Pra quem não sabe a rotavírus  é um vírus que causa diarreia grave frequentemente acompanhada de febre e vômitos. É uma das principais causas de gastroenterites e de óbitos em crianças menores de cinco anos em todo mundo. A maioria das crianças se infecta nos primeiros anos de vida e os casos mais graves ocorrem em crianças até os dois anos de idade.

Nos primeiros meses de vida a criança necessita tomar as vacinas contra esse vírus. Porém, quem necessita da saúde pública terá que contar com a sorte para que seu filho não seja infectado com esse vírus, pois postos de saúde da capital maranhense está sem suporte de medicação para atender as famílias.

Existem duas vacinas rotavírus: pentavalente e monovalente. O esquema da vacina monovalente  é de duas doses, com intervalo mínimo de quatro semanas entre as doses. O esquema da vacina pentavalente é de três doses, com intervalo mínimo de quatro semanas entre as doses. Para ambas as vacinas, a primeira dose deve ser aplicada a partir de 6 semanas e até 14 semanas de vida e a última dose até 7 meses e vinte e nove dias. Se o bebê perder a primeira dose, não poderá mais ser vacinado. Por isso é muito importante prestar atenção no prazo para início do esquema vacinal.

Na semana passada uma empresária da capital maranhense e mãe da Laura de seis meses procurou alguns postos de saúde de São Luís depois de sua filha ser diagnosticada com o vírus, porém em todos que ela passou (liberdade, bequimão, cohab) ela recebeu a mesma resposta: “não há vacina”.

“A solução é confiar em medicações naturais que consigo com mamãe ou algum naturista, tem surtido efeito, mas não é a mesma coisa”, disse a mãe de Luara. Então desde já aguardamos algum posicionamento da prefeitura de São Luís que possa providenciar essas medicações urgentes não só pra essa família, mas pra tantas outras que sofrem como a mãe de Laura.

Sobre a rotavírus:

A diarreia por Rotavírus tem curto período de incubação (24 a 48 horas), início abrupto, vômitos, febre alta e diarreia intensa, podendo evoluir com desidratação, muitas vezes requerendo internação e podendo levar à morte. As medidas tradicionais de higiene e de saneamento básico não são suficientes para sua prevenção, por ser uma doença de fácil contágio entre as pessoas e de curta incubação. A melhor maneira para o controle do Rotavírus é a utilização da vacina.

2 comentários sobre “Caos e descaso! Saúde de São Luís está sem medicações para crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *