Aluno troca carícias com namorado em sala de aula e diz que não sai do colo

Um casal homoafetivo tem causado maior polêmica nas redes sociais. Após um vídeo divulgado onde mostra a diretora Aida Ramalho Cortez Pereira pedindo educadamente para que o casal não troquem carícias e nem fiquem sentados no colo durante as aulas e a reação de um deles reage: “não saio do colo do meu namorado”. A diretora que estava tentando contornar a situação tenta se explicar dizendo que também pede para as meninas não sentarem no colo de meninos.

O namoro é algo norma na adolescência, porém, não pode atrapalhar o funcionamento da escola e nem gerar constrangimento á outros alunos, sendo eles héteros ou homossexuais. “Nós explicamos a diferença entre o público e o privado e que é preciso respeito ao coletivo”, diz a orientadora educacional Maria América Cabral.

É visivelmente sabido que todas as escolas, faculdades e cursinhos proíbem que casais namorem dentro de sala de aula. O fato é que os alunos precisam ter bom senso para que situações como essa não sejam necessárias.

 

18 comentários sobre “Aluno troca carícias com namorado em sala de aula e diz que não sai do colo

  1. Uma diretora dessa é muito mole! Pega uma ripa, cai de porrada na cara desse vagabundo! Homofobia é crime, todo mundo sabe. Mas, colégio é lugar pra respeito e educação e não atos de qualquer natureza amorosa, seja heterossexual ou homossexual, logo em plena aula.

    1. lamentável um ser humano se comportar dessa forma. Por isso que muitas pessoas falam e falam com razão de alguns homossexuais, pois alguns não se dão o respeito e a moralidade. Repeito, gentiliza e fundamental em qualquer lugar, se queres namorar, beijar ou outras coisas mais, a escola não é lugar pra isso.

    2. Hoje eles tem mais direitos que os heteros. Se você bate numa pessoa dessa, você é denunciado por espancamento, depois por homofobia e dizem agora, que até que “eles” podem te denunciar por Lei Maria da Penha! É mole?

      1. Daqui a mais uns dias os drogados, as prostitutas os bandidos vão querer fazer o mesmo. O preceito constitucional da valorização da dignidade da pessoa humana, está sendo deturpado no Brasil. Não basta nas relações trabalhistas o mal empregado querer insultar e bater no padrão e não acontecer nada, e se o patrão insultar e bater no empregado ele terá que indenizar por danos físicos, morais e o escambau o empregado.

  2. Fica desafiando a escola e a moral da diretora. Viu-se aí a educação de uma educadora para com um cara sem moral que acha que ter direito é tá se agarrando com seu parceiro dentro da sala de aula obrigando a todos olharem essa pouca vergonha. Falo pouca vergonha deles, não que seja da sexualidade pq o que mais tem por aí são homossexuais que se valorizam e dao-se o respeito , sabem seus lugares, e não como esses dois que acham que o povo é obrigado assisti-los.

  3. A viado sem vergonho, escola é lugar de estudar e respeito, se fosse em outra época ele tinha pegado uma ripa de pau nas costas e nas mãos pra respeitar a escola e as pessoas.

  4. Trata-se de uma aberração da natureza. Só porque são bichas e se julgam seres ungidos (só se for pelo satanás), se acham no direito de desrespeitar as outras pessoas que não comungam de sua opção homossexual, com uma atitude que só causa desconforto frente às pessoas normais.

  5. Concordo com diretora da escola, tudo tem lugar e hora, as escolas que estudei ninguém senta no colo de ninguém pra assistir aula. Seja casal hetero ou homoafetivo, devem usar bom senso e respeito com todos que estão compartilhando o ambiente, essa de “ela está sendo preconceituosa” é balela, vivemos em sociedade e espaços público ou coletivos requerem uma condulta, de comportamento de dedicação. Só pra constar sou gay e casado, mas considero o convívio em grupo de ordem social requer uma condulta igual para todos.
    Já pensou se todos agora considerarem que sentar um no colo do outro é o ideal para assistir aula. Ser gay, também é ser sociável não preciso afrontar a as pessoas que me rodeiam com meus desejos, eles são de foro íntimo não precisam ser compartilhados em público .

  6. Já está errado de chamar de casal, é par. Nesse caso aí tinha era que chamar a polícia, por desrespeito a autoridade da Diretora, que é servidora pública. Vermes, depois, querem respeito. Deveriam era ter levado uma surra.

  7. HOMOFOBIA ainda não é crime para quem não sabe. Lei para um lei para todos simples assim. Essa é a realidade da nossa sociedade de hoje, quem está errado, é que está correto. Época boa quando a professora dizia: “vou te levar para a diretora”… era maior pavor, no bom sentido, e muito respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *