Arquivo mensais:agosto 2016

Internet pra todo mundo : Barra do Corda vai torrar R$ 110 mil em secretaria

Minha gente, a pequena secretaria de planejamento, orçamento e gestão da cidade de Barra do Corda terá um gasto de R$ 110.000,00 ( cento e dez mil reais) de internet em um ano. Mais de R$ 9 mil reais será pago por mês.

ppp

Contratos obscuros se vê por la.O prefeito Eric Costa prega moralidade e transparência, mais agentes riquíssimos já investigaram coisas bem piores ocorridas por lá.

Mais isso deixaremos para outra oportunidade….

Munik Nunes, ex-BBB, apela pra presença em boutiques em São Luís

É, parece que nem sempre ser finalista da casa mais vigiada do Brasil leva a pessoa a ser bem sucedida na carreira artística, ou mesmo ser uma global, isso não é regra, sim exceção. Ou seja, a sorte não é para todos.

IMG_2075

A linda e carismática Munik Nunes é um exemplo vivo de que o BBB não te faz uma celebridade, apenas uma sub. A gata está aqui em São Luís para fazer propaganda de boutiques que nem são famosas, que não fazem jus a toda a mídia que a Globo deu a ela durante o BBB 16.

Não são grifes assinadas por celebridades de alto padrão. Mas geralmente os ex-BBB’s se mantém assim após a saída do programa, recebendo cachês magros para desfilarem ou ficarem em lojinhas dando sorrisos amarelos.

Pasmem, esses outros Brothers que nem lembro mais quem são, também vieram acompanhar a morena durante a sua estadia em São Luís. Nem imagino o cachê, mas dá pra perceber que BBB não é sinônimo de que você vai ser lembrada para sempre e muito menos que será uma grande celebridade.

Vários ex-sisters caíram rápido no esquecimento, exceto uns que tem um pouquinho a mais de beleza.

??????????

Fetos desaparecem no Hospital Universitário do Maranhão; MPF pede explicações

Foram solicitadas cópias dos depoimentos colhidos e laudos periciais produzidos pela PF sobre o caso; HU-Ufma deverá enviar cópias de documentos e outras informações

hu-ufma-hospital-universitario-universidade-federal-maranhao-presidente-dutraO Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) pediu informações à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde (MS), Conselho Federal de Medicina (CFM), Superintendência Regional da Polícia Federal no Maranhão e Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-Ufma) para instruir investigação que apura condições de segurança e qualidade dos procedimentos internos da Unidade Materno Infantil do HU-Ufma, em São Luís (MA). As solicitações foram feitas por meio de ofício, após análise de relatório enviado pelo hospital, a pedido do MPF/MA.

O MPF/MA pede que Anvisa, MS e CFM enviem manifestações técnicas que esclareçam quais são os procedimentos obrigatórios a serem adotados por unidades hospitalares em casos de morte fetal. À Anvisa solicita-se, também, que realize vistoria no HU-Ufma para verificar o atendimento aos protocolos e procedimentos legais. Além disso, solicita à Superintendência Regional da Polícia Federal no Maranhão o envio de cópias dos depoimentos colhidos e laudos periciais produzidos sobre o caso.

O HU-Ufma deverá encaminhar cópias de documentos, incluindo o que trata do controle de conferência do material contido na câmara fria do Materno Infantil do dia 19 de julho de 2016, e levantamento dos últimos 6 meses sobre o fluxo de entrada e saída de cadáveres do local.

Prefeito larga a esposa para ser corno da amante

Gente o babado é grande, então sentem-se que lá vem um fuxico que será contado para toda a sociedade maranhense.

images

Temos um prefeito que já está se despedindo do cargo que sempre gostou de andar em boates, bom, não são “beem” aquelas boates tradicionais, casas de “meninas”. Ele vinha mirando em direção á São Luís e se tacava para a Zero Hum, Rosana e até a falida Crystal. Nessas idas e vindas ele conheceu uma mulher de programa bem danadinha, daquelas que já passou dos trinta e quer sair dessa vida e qualquer gordinho ( ainda mais reduzido) que vier é lucro, ainda mais sendo prefeito.

Só que o prefeito era casado com uma mulher decente, bonita e super trabalhadora, que inspirava encantos e delírios em muitos marmanjos, mas isso não foi o suficiente para que o prefeitão ficasse com ela .

Então, ele começou a viver uma vidinha dupla. Entre São Luís e sua cidade. Estava muito apaixonado demais pela sua amante, até tirou a coitadinha da “casa de massagem”, dando-lhe a oportunidade de ser uma empresária do ramo das confecções, comprando uma fábrica de roupas para a “dama”, dando-lhe um apartamento no Gran Park e mais um carro.

Só que vocês sabem como é malandra, né? Não para, apenas dão um tempo. E a gente sabe que pra ser garota de casa de massagem é um “dom”, então a moça logicamente foi se deliciar nas mãos de outro político, desta vez um deputado que não é louro, mas atende por este nome.

O que ocorreu foi que o prefeito descobriu que sua amada estava “enfeitando-lhe a cabeça.O prefeito não aguentou a vaquejada, tirou pra fora. Logo tratou de tomar os bens materiais de sua amante, tomou carro, apartamento e loja de roupa, deixando a amante na lona.

Depois do chifre, voltou a ser homem de uma só mulher, passou o final de semana na casa da sogra, desfilou em um festejo com a esposa.

Porém, a amante não se deu por satisfeita pressionou bastante até que o prefeito esquecesse que foi corno e reatasse com ela. Deu-lhe um bom chá, fazendo que ele comprasse um belíssimo apartamento para ela na Península da Ponta d’Areia e lhe devolvesse os bens que ele havia confiscado.

Uma verdadeira vergonha para o prefeito, uma vergonha mesmo!!! Deixou a esposa para se tornar corno de sua amante. Agora meninas, quem vê essa história até pensa que é uma mulher bonita, mas “nããnn”, a cara parece de um maracujá enrugado.

Só uma dica: o deputado é aquele que não conseguiu nem segurar a noiva em Teresina. Agora se ele não conseguiu segurar uma mulher recatada e do lar, imagina se vai conseguir segurar uma mulher não recatada e do bar? kkkkkkk

 

Caos na saúde pública e na segurança de São Luís são destaques no Profissão Repórter da Rede Globo

A equipe de repórteres do programa global Profissão Repórter esteve no Maranhão e investigou por cinco dias a situação dramática vivida pela população diante a calamidade que se encontra a saúde pública e o aumento do número de homicídios.

Os profissionais acompanharam equipes da SAMU e da Polícia Civil em várias operações. Somente no mês de agosto, 47 pessoas já foram assassinadas na capital.

Homicídios na Região Metropolitana de São Luís ocorrem diariamente
Homicídios na Região Metropolitana de São Luís ocorrem diariamente (Foto: Biné Morais)

A violência que se instalou na capital do Maranhão, São Luís, tem ganhado grande destaque na imprensa nacional. Na noite de ontem (25), o Profissão Repórter da Rede Globo exibiu o medo em que vive a população devido o aumento da violência desenfreada.

Como em todo o Brasil, a capital maranhense,foi monitorada durante cinco dias pelo repórter Estevan Muniz. O repórter acompanhou de perto o trabalho do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Delegacia de Homicídios, da Polícia Civil. Os dados alarmantes chamaram à atenção, 416 mortes violentas foram registradas nos seis primeiros meses do ano em toda região Metropolitana ( São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa).

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão houve 47 homicídios dolosos ( quando há intenção de matar), no mês de agosto.

Em dois casos acompanhados de perto, as vítimas foram atingidas por arma de fogo. “A maioria dos homicídios em São Luís são efetuados dessa forma: com arma de fogo, em via pública e, geralmente, devido ao tráfico de drogas”, observou o perito criminal Wendell Mesquita.

Só neste mês de agosto, 66 mortes violentas foram registradas 66 mortes violentas, entre homicídios dolosos (47), latrocínios (4), mortes por confronto com a polícia (5), mortes a esclarecer (10) e mortes por lesão corporal em período posterior (3). A média diária é de 2,64 mortes na Ilha

Em Viana, Justiça determina que cartório altere nome de travesti em registro de nascimento

Sentença assinada pelo juiz Clésio Coelho Cunha, integrante da Comissão Sentenciante Itinerante, determina ao Cartório de Registro Civil da Zona da Cidade de Viana (MA) que “proceda a alteração do prenome no registro (assentamento) de nascimento” de D.M.M., do sexo masculino, passando a constar R.M.M., do sexo feminino.

CNJA sentença atende à Pedido de Mudança de Prenome par adoção de nome social feito pelo autor junto à 3ª vara cível da capital. No pedido, o autor alega que “é transexual e nasceu com corpo fisiológico masculino, mas cresceu e desenvolveu-se como mulher, com hábitos, reações e aspectos físicos tipicamente femininos”, incluindo a voz e os seios, ainda na adolescência.

D.M.M. ressalta que todos os documentos pessoais (RG, CPF, Título Eleitoral) foram expedidos com base no registro de nascimento, onde consta a designação sexual masculina, o que, segundo o autor, “tem lhe causado grandes transtornos, já que não condizem com a aparência física que adota”.

Travesti – Em suas fundamentações, Clésio Cunha argumenta que o autor não é transexual, como afirma na inicial, mas travesti, conforme terminologia do antropólogo Marcos Benedetti que define travesti como “aquele que promove modificações nas formas do seu corpo visando deixá-lo o mais parecido possível com o das mulheres; veste-se e vive cotidianamente como pessoa pertencente ao gênero feminino sem, no entanto, desejar explicitamente recorrer à cirurgia de transgenitalização para retirar o pênis”.

Para o magistrado, também não se trata de pedido de retificação de nome, como definido pelo autor na inicial, mas de alteração de nome do registro de nascimento.

Nas palavras do juiz, as provas constantes nos autos e aquelas colhidas em audiência são suficientes para o julgamento da procedência do pedido, entre as  quais o magistrado cita a aparência predominantemente feminina de D. nos documentos pessoais e o testemunho em Juízo de pessoas que conhecem a parte autora e que destacam o descompasso entre o sexo masculino adotado nos documentos e o sexo e a aparência adotados por D., bem como os constrangimentos causados por essa divergência.

Citando a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que preconiza que “ninguém sofrerá intromissões arbitrárias na sua vida privada, na sua família, no seu domicílio ou na sua correspondência, nem ataques à sua honra e reputação”, Clésio Cunha defende que o direito à identidade deve, indiscutivelmente, ser protegido pelo Estado.

“O nome de um indivíduo é o que é mais provado e inerente à sua identidade. Sendo uma pessoa adulta, o que tem o nome discordante de seu gênero assumido, e agindo de legítima vontade, cabe ao Estado acatar essa vontade individual e proteger essa vontade através dos órgãos de Justiça, reconhecendo o direito à mudança de nome”, ressalta o magistrado.

Na visão do juiz, se falhar em proteger esse direito o Estado contribuirá para manter a parte autora em uma condição vulnerável, falhando ainda em proteger a sua dignidade como pessoa humana. Para o magistrado, em casos como o de D., quando nomes não correspondem à vivência e aparência da pessoa, “causam uma série de situações humilhantes”.

Para o magistrado, além de o Estado, através do juiz, ter a oportunidade de resguardar a privacidade e dignidade da parte autora, também “emerge uma ocasião única para mitigar o nível de discriminação sofrida por ela em sua vida cotidiana”.

“Além do mais, e isso é extremamente importante frisar, é dever nosso como agentes estatais promover a igualdade através de obséquios aos direitos de minorias”, observa o juiz. E conclui: “A melhor medida da qualidade democrática de uma nação é a forma com a qual o aparato estatal protege e salvaguarda os direitos das suas minorias”.

Maranhão vira pauta nacional: saúde está um caos

Infelizmente o maranhense mais uma vez quebrou a cara com seu gestor. Voltamos novamente a ser lembrados na rede Globo, desta vez não pela violência, mas sim pelo descaso com a saúde pública. 

image

A equipe do Jornal nacional através de seu correspondente Alex Barbosa vivenciou o dia á dia das pessoas que necessitam fazer hemodiálise (método de filtração do sangue por meio de um rim artificial).

São pessoas carentes e de todas as idades, até criança de 3 anos. O cotidiano desses pacientes é muito triste. Fazem viagens longas e cansativas de Chapadinha até a capital para realizarem o procedimento e se manterem vivos. Uma luta incansável pela vida.

Diante de tanta humilhação é triste ver que o governador do nosso estado não se comove com a saúde e simplesmente a abandona, deixando assim a sua população desamparada e principalmente aqueles que mais necessitam de um atendimento médico cansarem nas longas filas do SUS.

O governador do Maranhão em época de campanha eleitoral, prometeu diversas melhorias para o estado, porém, as reclamações aumentaram.

Vejam o quanto a população maranhense está clamando pela saúde:

 

Um prato cheio para a PF: em Barra do Corda a merenda escolar é pipoca com água

Maldade ou corrupção? A imagem abaixo pode chocar, mas é a realidade nua e crua vivida pelas crianças em Barra do Corda. A educação pede socorro, pede ajuda ao Ministério Público. 

image

A população cordina está cansada desses desmandos, tanta a saúde como a educação estão carentes e necessitadas de olhares mais sinceros e sensíveis. 

FIM DO REINADO COSTA

Para Rigo Teles, a festa de apoio a Júnior do Nenzin demonstra que o povo de Barra do Corda está cansado de enganação e está chegando ao fim o reinado da família Costa, que durante quatro anos levou o município ao caos e ao abandono. “Com certeza Júnior do Nenzin será aclamado pelo povo na eleição”, disse. 

Na ocasião, deputado Rigo declarou que o maior a cabo eleitoral de Junior do Nenzin é o prefeito Eric Costa, que deu as costas para o povo e destruiu Barra do Corda em quatro anos.

Durante caminhada a carreata que reuniu cerca de 500 carros, Júnior do Nenzin foi ovacionado pela população nas ruas e avenidas “O maior diploma que um ser humano pode ter é dignidade e tratar bem as pessoas. No comando da prefeitura, transformarei a história do município de Barra do Corda”, prometeu Júnior do Nenzin.

Rigo Teles estava acompanhado da sua esposa Abigail, que é candidata a prefeita em Jenipapo dos Vieiras e do pai, o ex-prefeito de Barra do Corda, Nenzin, da mãe, Dona Santinha, do irmão, Pedro Teles, da cunhada, vereadora Nilda Barbalho e dos candidatos a vereadores. Júnior do Nenzin estava acompanhado por sua esposa Janaina Simões e dos filhos Mariano Neto e Manoel Victor.

 

 

 

Ladrões invadem C&A da Rua Grande e tentam realizar assalto

Bandidos armados invadiram logo nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (24), a loja C&A que fica localizada na Rua Grande, Centro comercial de São Luís.

Aquiles1 - 131013A ousadia utilizada pelos bandidos foi tanta que não houve sequer intimidação devido a grande concentração de pessoas no local.

De acordo com informações, o alvo principal dos assaltantes foi os quiosques de celulares. No entanto, o assalto não obteve êxito.

A polícia foi acionada e encontra-se nesse momento no local e não há informação de pessoas presas.

Márcia Fellipe se envolve em escândalo de fraudes em licitação no Maranhão

Após verificar irregularidades em licitação de show comemorativo de aniversário do município de Itapecuru-Mirim, o Ministério Público do Maranhão propôs, em 19 de agosto, Ação Civil Pública por atos de improbidade administrativa contra o prefeito Magno Rogério Siqueira Amorim; o secretário municipal de Cultura e Turismo, João Ricardo Ribeiro, e o pregoeiro da Comissão de Licitação, Ricardo Barros Pereira. A ACP também tem como alvos a empresa JRC Produções e o seu sócio-proprietário Jaime da Rocha da Costa.

FullSizeRender

 

Como medida liminar, a promotora de justiça Flávia Valéria Nava Silva, autora da ação, solicitou o afastamento de Magno Amorim do cargo. Também foi requerido à Justiça que determine o bloqueio dos bens de todos os envolvidos.

FRAUDES

O MPMA constatou que a licitação do show comemorativo de aniversário da cidade, ocorrido em 21 de julho de 2016, com custo total de R$ 121.865,00, apresentou diversas irregularidades.

A sessão pública para o recebimento das propostas para a licitação ocorreu em 20 de julho de 2016, enquanto a prestação dos serviços – o show objeto da contratação com a cantora Márcia Fellipe – foi realizado logo no dia seguinte, em 21 de julho.

Para a promotora de justiça, não houve tempo hábil para a organização da apresentação. “A única licitante a comparecer na sessão pública foi contratada em um dia pelo prefeito e, no dia seguinte, já teve tempo para organizar e trazer o show?”, questionou, na ação, Flávia Nava.

Igualmente foi verificado que, na página da cantora no Facebook, o show em Itapecuru-Mirim já era anunciado desde o dia 21 de junho, ou seja, exatamente um mês antes. “Sem muito esforço de raciocínio, conclui-se que o pregão presencial n° 058/2016 ocorreu de forma ilegal, criminosa e fraudulenta”, afirmou a representante do MPMA.

Outras irregularidades atestadas no procedimento licitatório foram: insuficiência de pesquisas de preços, ausência de comprovação da existência de recursos orçamentários, publicidade insuficiente, além da inexistência de inúmeros documentos exigidos pela legislação.

PEDIDOS

Também foi solicitada à Justiça a condenação de Magno Rogério Siqueira Amorim à perda do mandato de prefeito e que todos os envolvidos sejam condenados à suspensão dos direitos políticos pelo prazo de oito anos, ao ressarcimento integral do dano causado ao erário municipal (R$ 121.865,00), mais os acréscimos legais incidentes no caso; à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, pelo prazo de cinco anos, e, no caso específico do prefeito, do secretário municipal e do pregoeiro, ao pagamento de multa civil no valor de 100 vezes o valor da remuneração recebida em agosto de 2016.

A 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itapecuru-Mirim requereu, ainda, que a empresa JRC Produções (Jaime R. Da Costa – ME) seja condenada ao ressarcimento integral do dano, mais os acréscimos legais incidentes no caso; à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, pelo prazo de cinco anos, e ao pagamento de multa civil no valor de 100 vezes a quantia adquirida irregularmente como pagamento dos serviços realizados ao município.

O município de Itapecuru-Mirim fica localizado a 118km de São Luís.