Sex shop Fantasy agride as mulheres de São Luís com fotos pornográficas

1448638131-53047627-640x367O sex  shop Fantasy foi veemente repudiado pelas autoridades do Maranhão por conta de uma propaganda de oferta que estaria infringido as leis em respeito as mulheres.

A secretária de Estado da Mulher divulgou uma nota e considerou uma ofensa a categoria

Veja;

Leia a íntegra da nota abaixo:

A Secretaria de Estado da Mulher e o Conselho Estadual da Mulher vem a público expressar repúdio contra o anúncio comercial da empresa Fantazy Sex Shop em forma de plotagem em ônibus coletivos de São Luís. Recebemos a denúncia através de foto, em anexo que está sendo amplamente divulgada nas redes sociais.

Consideramos a mensagem sexista, expor o corpo de uma mulher desta forma é não só uma atitude  machista e misógina, como não é correto usar a imagem de uma mulher de seu corpo, para este fim.

Nosso propósito enquanto órgão público é desenvolver planos e programas visando o enfrentamento das desigualdades e a defesa dos direitos das mulheres. Desta forma, proibir que mulheres sejam objetificadas em qualquer meio de comunicação não é censura: é responsabilidade. A liberdade de expressão tem limites regulados em lei.

As mulheres maranhenses se sentem ofendidas e desrespeitadas. Enquanto lutamos em prol da igualdade de gênero nos deparamos com esse tipo de imagem. Isso é violência contra a mulher! A circulação da imagem é ato discriminatório. E já estamos solicitando a proibição da mesma junto aos órgãos competentes.

São Luís, 27 de novembro de 2015

Laurinda Maria de Carvalho Pinto

5 comentários sobre “Sex shop Fantasy agride as mulheres de São Luís com fotos pornográficas

  1. Respeito a opinião das pessoas que acharam ruim essa propaganda do Sex Shop no ônibus, mas queria fazer algumas perguntas:

    Se fosse uma exposição de arte, alguém estaria criticando esta foto?

    Se fosse num outdoor de “50 tons de cinza”, alguém criticaria esta fotografia num outdoor da cidade?

    Alguém daqui já processou a Rede Globo por cenas muito mais intensas na TV aberta? E a Globeleza nua?

    A Secretaria da Mulher e o PROCON já fizeram alguma ação contra as casas noturnas onde há prostituição na cidade e frequentes propagandas deixadas inclusive nos vidros dos carros? E os preços abusivos e venda casada cobrados nessas casas?

    Alguém da Secretaria da Mulher (que já notificou o Ministério Público sobre essa propaganda do Sex Shop) já foi interditar os locais onde facilitam a prostituição e cobram comissão sobre os programas das mulheres? Já foram na Rosana? Já foram na Zero Um? Já foram na Crystal, bem aqui do lado da Assembleia Legislativa do Maranhão?

    Vi muita gente boa defensora (como eu) dos direitos dos homossexuais, (casamento, adoção de crianças) vociferando contra uma suposta objetivização da mulher por conta disso bem aí. Eu respeito a opinião de vocês, vejam bem, mas , sinceramente , procurem causas mais sérias para pautar. A criança que vê uma bunda estampada no ônibus em preto e branco, com esse nu artístico bem aí, vai lembrar é da bunda da mãe que anda nua ou com pouca roupa e sem maldade em casa. Acreditem, isso aí não é estímulo masturbatório pra uma criança, nem vai moldar o comportamento sexista em casa. Tem coisas muito piores que isso, inclusive comumente estimuladas pelas próprias mães, afinal, vivemos em um país com mais de 20 milhões de mães solteiras (31% do total). Quando você, mulher, vê um machista na rua e exerce seu justo direito de criticá-lo, não esqueça do papel da própria mulher na manutenção dos paradigmas machistas.

    Quanto ao Sex Shop, não vejo culpa, afinal não há lei que proíba a empresa de anunciar sua marca no Bus Door. Queriam que colocassem o que no anúncio? Um panda? um urso coala? Um poodle? Se fosse nudez masculina, seria igual ou maior ainda a revolta?

    Só pra finalizar, Secretaria da Mulher e Procon: 60% dos consumidores de Sex Shop são mulheres.

    Vejo justamente o contrário aí com esse purismo circense: vejo repressão ao sexo feminino ter acesso à cultura do prazer e onde vejo repressão, vejo hipocrisia. Em meio à hipocrisia, vejo gente querendo pagar de puritana, vejo gente querendo aparecer.

    Meu conselho aos indignados: transem mais e aproveitem para visitar o sex shop. Capaz de vocês gostarem!

    Sério, essa histeria coletiva ultra-conservadora inclusive de gente que se diz progressista está ficando cada vez mais insuportável nesses tempos de internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *