Peça teatral fala sobre ‘exploração anal’

Uma encenação teatral inusitada causa polêmica nas redes sociais. “Macaquinhos” leva ao palco nove atores, completamente nus, que vão explorar os ânus uns dos outros.

A performance foi apresentada no palco do Sesc Patativa do Assaré, no Cariri, em Pernambuco. A montagem, segundo os idealizadores da performance, tem como objetivo ampliar os conhecimentos do público sobre novos conceitos de arte.

CYMERA_20151119_135117

Em uma postagem no Facebook, uma das espectadoras comentou: “E pra fechar com chave de ouro, o espetáculo performance Macaquinhos: a arte de explorar o c… alheio. Mostra Sesc de Arte e Cultura”. Outro criticou: “Cutucar o C… dos outros virou até arte. Foi o que aconteceu na Mostra Sesc de Culturas.

O evento é patrocinado pelo Sistema S, que recebe milhões do Governo Federal, ou seja, vc bancou essa baixaria disfarçada de arte”.

6 Replies to “Peça teatral fala sobre ‘exploração anal’”

  1. Cada Sesc tem autonomia pra decidir o que entra em cartaz ou não, em Pernambuco são liberais. Aqui por exemplo nem de longe essa peça seria encenada…. A Direção e coordenação é formada por mulheres que’ nunca’ liberaram as pregas, afinal, Mônica Moreira Lima só tem uma no Maranhão, que não sovina prega, libera mesmo.

  2. Tá que o pensamento brasileiro tem que se manter aberto em relação a todo tipo de manifestação de arte…. Porém, mantenhamos o bom senso. A pessoa que se referir a essa insenacao banal de pessoas que se prestado a esse papel como se isso fosse comum normalmente não respeita as limitações dos outros. Me poupe ! Como tantas formas de arte que por sinais são incríveis , agira a moda é fazer arte com o dedo no anus das outras pessoas ? Isso é uma falta de respeito …. Com tantos problemas no Brasil , alguns membros da sociedade ainda tem o caratismo de se prestar a uma coisa dessas , Citando a palavra “coisa “pra não fizer pior …. Vamos procurar Bom senso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *